As águas superficiais são as águas que circulam sobre a superfície do solo. A água superficial se produz pelo escorrimento gerado a partir das precipitações ou pelo afloramento de águas subterrâneas. Uma vez produzida, a água superficial segue o caminho que lhe oferece menor resistência, podendo se apresentar em forma de corrente, como no caso de rios e arroios, ou quietas, se se tratar de lagos ou represas.

A qualidade dos rios e arroios varia de acordo com os caudais sazonais, e pode mudar significativamente por causa das precipitações e descargas que recebe. Os lagos e represas apresentam, em geral, menor quantidade de sedimentos do que os rios; no entanto, estão sujeitos a maiores impactos do ponto de vista da atividade microbiológica.

A fim de garantir a proteção das águas e promover um uso sustentável que assegure a disponibilidade do recurso natural a longo prazo, a Adasa desenvolveu uma série de equipamentos que perseguem este objetivo, podendo ser implantados de forma individual, ou integrados em estações ou redes de alerta e controle de qualidade das águas. Em função da sensibilidade ambiental e das características do meio, é interessante analisar determinados parâmetros físico-químicos e/ou substâncias potencialmente poluentes, o que implica em decidir quais os produtos que satisfazem as necessidades em cada situação.